O País chama pelo Movimento Expontâneo: Precisamos estar mais perto da Selecção Nacional

As seleções que ainda estão em competição no CAN da Costa de Marfim enviaram, para os jogos a eliminar, um considerável número de adeptos, saídos dos seus países, para apoiar os seus representantes.

Por: Professor Pina N’dovale | Escola Pública Trabalho e Luta

O caso de Angola não pode fugir à regra. Os Palancas Negras clamam pelo calor dos angolanos, de perto. E o Movimento Nacional Expontâneo sempre nos habituou a isso.

E agora?
Vamos só se olhar assim?!

Alguém precisa alertar ao Presidente João Lourenço que os jogadores da nossa seleção precisam do nosso apoio. Para tal, deve-se despachar um ou mais voos para levar adeptos ao palco do CAN.

Os nossos rapazes estão a esbanjar energia, vontade e boa disposição para conseguirem o melhor resultado possível nesta competição. Não podemos, por isso, deixá-los sozinhos. A corrente de apoio a distância é e tem sido importante, mas não o suficiente.

Um grupo de jovens enérgicos, vibrantes e acima de tudo patriotas precisa de ser evacuado à Costa de Marfim. O Botafogo, do KABUSKORP, e outros que tocam fanfarra deveriam já lá estar.

Alguém faça alguma coisa, porque nós também merecemos ser felizes no futebol 11.
É hora de os nossos empresários fazerem promessas aos jogadores, para os motivar mais.

Façam, por amor ao povo angolano, esse gesto de patriotismo. Há muito que não sentíamos o que estamos a sentir pela nossa seleção e por Angola.

Compartilhar

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *