Espanha: Homem julgado por deixar a mãe morrer em “condições desumanas”

O homem admitiu, em tribunal, que não cuidou da progenitora nas suas últimas semanas de vida e que também não limpou a casa onde a idosa morava.

Um homem está a ser julgado em Espanha por um crime de homicídio contra uma pessoa vulnerável. O arguido é acusado de ter deixado a mãe morrer doente, desnutrida, com úlceras e atacada por isetos, num apartamento em Sevilha, após várias semanas acamada.

José Francisco era o único filho e familiar da vítima, de 88 anos. De acordo com o ABC Espanha, o homem admitiu, em tribunal, que não cuidou da progenitora nas suas últimas semanas de vida e que também não limpou a casa onde a idosa morava.

A mulher foi encontrada morta pelos serviços de saúde, no dia 17 de agosto de 2022, em “condições desumanas”, conforme acusou o Ministério Público espanhol. O cadáver tinha isetos, um cheiro nauseabundo e estava num ambiente sujo de fezes. A idosa estava ainda desnutrida.

O homem alegou que tudo se deveu ao facto de sofrer da síndrome do cuidador. “Estava bloqueado e a sofrer muito, não tinha um momento de lucidez para dizer que não aguentava mais e para pedir ajuda”, referiu o homem.

A mulher tinha vários problemas de saúde e não era levada ao médico desde 2016.

Para o Ministério Público, “nada justifica uma morte nestas condições”. “Os pais devem cuidar dos filhos, mas os filhos não só têm o dever moral de cuidar dos pais, como também uma obrigação legal”, foi dito em tribunal.

O Ministério Público pediu uma pena de 17 anos de prisão para José Francisco.

Compartilhar

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *