A galinha não segue o pato – Celso Malavoloneke

A nossa santa e una Igreja Católica é das, senão, a instituição mais credível deste mundo, que abraça a causa dos pobres, indefesos e fracos sem hesitação e fá-lo sem motivações políticas ou materiais, mas, entretanto, não me posso penitenciar com o silêncio ante ao desvio dos sacerdotes transformados em políticos ou políticos transformados em sacerdotes que têm se desviado dos motivos por que foram ordenados.

Vamos imediatamente desconstruir a alegação do papel social da igreja pois não está em causa, visto que, a intervenção cívica é imperativamente baseada em critérios e teses bíblicas, assim sendo, indago-me sobre qual o respaldo bíblico encontrado no sermão do Cónego Apolónio Graciano? O que terá motivado o temeroso sacerdote à adopção de tão incoerente conduta? Serão motivações materiais, pois estou cônscio das dificuldades que acometem a sua diocese, todavia como crente e líder religioso devia alicerçar-se na fé e esperar em Cristo em vez de exercer militância activa na Casa do Senhor à semelhança dos mercadores que negociavam na casa do Pai em pleno dia santo.

Caso se trate de uma estratégia de marketing a fim de granjear a mesma dimensão cívica de Dom Belmiro Chissengueti, aconselhamos o reverendo a adoptar a mesma postura exemplar do Bispo de Cabinda cujas críticas enérgicas e justas são proporcionais à conduta social exemplar e aos elogios públicos quando as circunstâncias assim exigem. Tal como somos convidados a ser imitadores de Cristo, também somos convidados a imitar os bons exemplos dos homens, mas sem os deturpar.

Que a paz de Cristo esteja convosco!

Compartilhar

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *