Vítima foi o ex-ministro Augusto Tomás: Ordem dos Advogados arrola Joel Leonardo em processo de extorsão do seu sobrinho

A Ordem de Advogados de Angola quer que o Juiz Presidente do Tribunal Supremo Joel Leonardo seja arrolado como testemunha no processo contra o seu sobrinho Silvano Antônio Manuel que enfrenta acusações de tentativa de extorsão de 6 milhões de dólares ao ex-Ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, em troca de liberdade.

A Ordem dos Advogados de Angola decidiu tomar um papel activo no processo em questão e constituiu-se assistente, nomeando o advogado José Luís Domingos para representá-los. Após ter sido notificada do despacho que agendou o julgamento e ter tido acesso ao rol de testemunhas, a Ordem dos Advogados não se conformou com a lista de testemunhas existente.

Nesse contexto, a Ordem dos Advogados enviou recentemente uma carta ao Tribunal da Comarca de Belas, requerendo, nos termos da lei, que o Juiz Conselheiro Presidente do Tribunal Supremo, Joel Leonardo, seja incluído como testemunha no processo. A Ordem dos Advogados justifica o seu pedido com base na conexão profissional entre Joel Leonardo e Silvano Antônio Manuel, alegando que a presença do Juiz Presidente pode ser crucial para a descoberta da verdade material do caso.

De acordo com fontes do Club-K, a inclusão de Joel Leonardo como testemunha levanta questões intrigantes sobre o andamento do processo, uma vez que envolve uma figura destacada da justiça em Angola.

O major angolano Silvano Antônio Manuel é o sobrinho do juiz-presidente do Tribunal Supremo, Joel Leonardo, que foi detido em Benguela no dia 1 de Fevereiro de 2023, quando tentava fugir do país. Ele é acusado de estar envolvido em uma rede de extorsão e venda de sentenças, usando a sua influência e proximidade com o seu tio. Silvano também é suspeito de participar em negócios familiares ilícitos, como a empresa IMPORLAB, que presta serviços de limpeza nos tribunais de Luanda e é controlada por um filho de Joel Leonardo.

O major Silvano Antônio Manuel foi nomeado pelo seu tio para integrar a Cápsula de Segurança do Conselho Superior da Magistratura Judicial (CSMJ), mas na verdade era o seu testa-de-ferro em todas as negociatas.

Em Fevereiro, o juiz-presidente Joel Leonardo simulou afastar o seu sobrinho das suas actividades ligadas ao CSMJ e ao Tribunal Supremo, alegando quebra de confiança e conduta pouco digna. No entanto, muitos questionam a responsabilidade e a credibilidade do próprio Joel Leonardo, que teria nomeado e protegido o seu sobrinho, além de estar envolvido em outras irregularidades e escândalos.

O julgamento do major Silvano Antônio Manuel estava previsto para o dia 19 de Outubro de 2023, mas foi adiado para uma data posterior ainda a ser anunciada. O caso tem gerado muita polêmica e indignação na sociedade angolana, que exige transparência e justiça.

Compartilhar

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *