Acusado de ter sido constituído arguido: PGR iliba Adriano Mendes de Carvalho

O governador da província do Zaire tem sido alvo de intrigas e ataques pessoais na província do Zaire por estar a adoptar um estilo de governação de combate ao crime organizado, peculato, contrabando de combustíveis e corrupção que desagrada alguns sectores da província segundo alguns analistas por nós contactados.

Prova disso, são as várias informações, sem fundamento, que circulam nas redes sociais com o intuito de manchar a reputação do governante.

Uma delas, dava conta que Adriano Mendes de Carvalho, terá sido constituído arguido mediante um processo que corre trâmites no SIC Luanda, por sinal, um órgão sem competência para instruir processos contra os governadores provinciais porque gozam de foro especial, conforme atesta a Direcção Nacionsl de Investigação e Acção Penal (DNIAP), no seu artigo 68° da Lei n°22/12 de 14 de Agosto).

A procuradoria Geral da República na província do Zaire, tornou público esta segunda-feira, 31 de Julho, através de uma nota negando qualquer tipo de processo contra o governador do Zaire.

Segundo a nota “o governador provincial do Zaire não foi alvo de nenhum processo em investigação ou que tenha sido acusado na província do Zaire”.

A PGR na província do Zaire reforça o seu compromisso com a transparência, justiça e legalidade, garantindo que todas as informações e procedimentos relacionados com figuras públicas e detentores de cargos públicos são conduzidos de acordo com a lei e o devido processo legal.
Portanto, as informações que circularam nas redes sociais eram completamente falsas e sem fundamento legal.

Portanto, as informações que circularam nas redes sociais eram completamente falsas e sem fundamento legal.

Na nota tornada pública, a PGR “alerta a população para evitar a disseminação irresponsável de informações não verificadas, pois isso pode causar danos à imagem e reputação de pessoas inocentes, bem como criar instabilidade e desconfiança na sociedade.

O comunicado de imprensa assinado por Procurador da República Dr. Luciano Wombili Daniel, termina dizendo que a PGR local continuará a cumprir o seu dever de proteger a lei e a ordem, bem como de defender a integridade e os direitos dos cidadãos.

Compartilhar

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *