Depois de solto: Tanaice Neutro fala da sua detenção e denuncia processo viciado

O activista Gilson da Silva Moreira, mais conhecido por Tanaice Neutro considerou que o processo de que foi alvo e do qual resultou a sua detenção e prisão ocorrida em Janeiro de 2022, foi ilegal, viciado e contestado nacional e internacionalmente, pelo facto de ter havido sonegação de justiça por parte das autoridades angolanas.

Em nota enviada ao ECOS DO HENDA, Tanaice Neutro que vai realizar uma conferência de imprensa na segunda-feira, 10 de Julho, na sala de conferências das Irmãs Paulinas, pelas 10 horas fez saber que tanto a Amnistia Internacional como por outros actores sociais, consoderaram a detenção do músico e activista não cumpriu os pressupostos legais.

Por este facto, Tanaice Neutro, vai, dentre diversas questões de interesse público, esclarecer as circunstâncias que motivaram a sua detenção e posterior prisão em 2022, bem como, apresentar os impasses políticos que estiveram na base do atraso para a sua restituição à liberdade momentos após a leitura da sentença.

O activista, qe chegou a receber a solidariedade de vários quadrantes da sociedade angolana, vai ainda denunciar as constantes violações de Direitos Humanos e a precariedade do Sistema Prisional a que foi submetido durante o momento de cárcere na Comarca de Viana e no Hospital Prisão São Paulo.

“Considerando a relevância social e política do acto, aproveito o ensejo para convidar os órgãos de comunicação social para fazer parte do evento e saberem em primeira mão avminha versão sobre os factos”, sublinha o activista Gilson da Silva Moreira, mais conhecido nas lides revolucionárias por “Tanaice Neutro”.

Compartilhar

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *